Dra. Claudia Martins Responde Suas Perguntas

Dra. Claudia,

Tenho muita dificuldade para viver uma vida tranquila e alegre. Sinto como se na verdade eu não merecesse. Estou muito nervosa, sou altamente crítica, e já fiz tudo de errado que a senhora disse no artigo “Rótulos Que Causam Danos a Alma”, rotulando meus filhos e ex-marido; carrego muito ódio e não consigo perdoar. Sei que meus filhos apenas me suportam. Só de admitir isto sinto muita raiva de mim.

A. P

Querida Leitora,

Primeiramente gostaria de dizer que você acabou de dar o primeiro passo em direção a sua cura emocional. Você reconhece que seu comportamento foi altamente destrutivo e que causou danos emocionais a sua familia e sobretudo a você. Tudo que sai de nossa boca primeiramente foi cultivado em nossos corações.

Todos os nossos medos são revelados em nosso relacionamento com as outras pessoas. Eles surgem com o propósito de nos ensinar que a relação que temos com os outros é como um espelho que reflete apenas a relação que temos com nós mesmos.

Do que você tem medo? É tempo de mudança, minha querida! Faça uma auto avaliação e descubra o que você quer mudar em seu íntimo. Você pode sim viver uma vida alegre – a alegria não está conectada às nossas circunstâncias, mas sim ao nosso interior. Devemos perdoar aos outros pelo que disseram, e pelo que achamos que nos fizeram. Devemos também perdoarmo-nos pelas coisas que fizemos a nós mesmos e aos outros. Caso contrário, o lixo do passado fica incrustado em nossas mentes e corações, nos impedindo de viver uma vida satisfatória.

Examine sua consciência. A partir de hoje, seja consciente do que está pensando, dizendo ou fazendo. Ao liberar perdão para você mesmo e seus familiares, o processo da cura emocional se iniciará. E após estes passos, você irá respirar mais aliviada e recomeçará sua história de vida.

Deus abençoe seu dia com coragem e graça.

Você merece uma vida gratificante e feliz! Aceita o desafio?

Prezada Dra. Claudia,

Sou pai de duas crianças maravilhosas. De acordo com o médico, meu filho de 10 anos é portador do TDAH . Nossa vida familiar está uma bagunça. Minha esposa não aceita este diagnóstico de maneira alguma. Embora ela veja e também sofra com todos os sintomas com os quais temos convivido há anos, ela se recusa a buscar ajuda. Que posso fazer para ajudar meu filho? Ele está cada vez mais isolado, sem amigos, e com péssimas notas. Estou uma pilha de nervos. Grato, N.T

Querido Pai,

O Transtorno de Déficit de Atenção por Hiperatividade (TDAH) é um dos transtornos mentais mais comuns nas crianças em idade escolar, atingindo de 3 a 5% delas. O desconhecimento desse quadro frequentemente acaba levando à demora no diagnóstico e no tratamento dos portadores do TDAH – que por sua vez acabam sofrendo por vários anos sem saber que sua situação pode ser tratada. Uma disciplina consistente e a rotina devem estar presentes na vida de toda criança para facilitar seu desenvolvimento. Ao estabelecer hábitos eficazes de disciplina, a criança aprende a compreender e a assumir responsabilidade por seu comportamento.

Segundo vários pesquisadores, terapeutas e médicos da área, as crianças portadoras do TDAH ultrapassam a barreira das travessuras engraçadinhas, e se transformam em um verdadeiro transtorno na vida dos pais, professores e todos a sua volta. Elas parecem ignorar as regras do convívio social; e, devido ao incômodo que causam, acabam sendo consideradas de má índole, caráter ou coisa parecida.

No entanto, é preciso deixar claro que as crianças hiperativas NÃO são, de forma alguma, más. Porém, essas crianças apresentam extrema dificuldade para sentar e dialogar. A ajuda profissional é muito bem vinda nestes casos e têm sido eficaz no tratamento de crianças e adolescentes. Quem sabe convidar sua esposa para conversar com um psicoterapeuta infantil possa ajudar? Te convido a ler meu artigo “Transtorno do Déficit de Atenção”, publicado em meu blog www.janelasdocoracao.com

A comunicação constante com o terapeuta e/ou professor da escola facilitará o processo de desenvolvimento social e psicológico da criança. Com certeza, você e sua família serão beneficiados com o tratamento de seu filho. Porém, o maior beneficiado será ele – e sem dúvida alguma sua esposa deseja o melhor para o filho de vocês.

Que tal começar agora mesmo a exercitar a paciência, a calma, e aderir a uma rotina? Facilite sua vida e diminua seu nível de estresse associado a este assunto aprendendo a reconhecer os limites de sua tolerância. Seja claro e objetivo quanto ao limites impostos. Tenha uma atitude disciplinar equilibrada e proporcione um ambiente familiar calmo e seguro, com sugestões concretas que ajudem a desenvolver um comportamento adequado.

Prezada Dra. Claudia,

Como faço para aprender a ouvir minha intuição? Tenho tido várias decepções com amigas com as quais inicialmente senti que não deveria ter desenvolvido uma amizade; mas que por solidão e carência acabei me envolvendo demais. As amigas percebem minhas fraquezas e sempre me usam. Durante todo o tempo, fico ignorando meus pensamentos com relação a estas pessoas, pensando que não fizeram por mal. Sempre saio prejudicada. J.S

Querida leitora,

Pessoalmente tenho aprendido que quanto mais equilibrados e conectados com nós mesmos estivermos, melhor será nossa percepção. Em outras palavras, nossa intuição estará mais nítida. É vital respeitar nossas próprias emoções, sensações, sentimentos e pensamentos. Aprenda a ouvir sua voz interior.

Faça a si mesma a pergunta: O que meu corpo está tentando me dizer? Observe sua linguagem corporal ao simplesmente pensar sobre o assunto. Seu corpo fica tenso? Você se sente angustiada? Sente paz?

Encorajo você, leitora, a desenvolver um relacionamento intímo consigo mesma. Aprenda a ouvir o que seu coração tenta lhe dizer. Aprenda a decifrar os sinais que seu corpo está lhe enviando. Desenvolva a sabedoria interior. Reserve um tempo diário para ficar quietinha. A intuição pode ser seu guia, auxiliando nas decisões e escolhas que farão grande diferença em sua vida. Todos nós somos seres potencialmente intuitivos. Ao refletir, ponderar e meditar diariamente, você estará aprofundando seu auto-conhecimento, podendo assim desenvolver sua intuição, descobrindo respostas para suas questões mais profundas.

Quanto a suas “amigas”, aprenda a dizer NÃO! Isto já facilitará em muito sua vida.

Descanso e alívio para você!

Dra. Claudia Martins

Post a Comment