Abrace as Mudanças na Vida

 

Lembro-me perfeitamente de certa manhã de domingo em junho, início do verão aqui na Flórida, dia muito especial em que dei à luz a meu filho Louis Edward. A dor do parto foi algo que eu jamais havia experimentado. O mais engraçado, no entanto, é que não consigo me recordar da intensidade daquela dor; apenas lembro que doeu, e me lembro de quanto tempo durou a dor. O que não consigo fazer, graças a Deus, é reviver na minha mente ou no meu corpo, a sensação daquela dor. Ou seja, esta dor se tornou apenas uma lembrança.

Agora que meu garoto já tem 3 anos, não é na dor do parto que fico a pensar. Meu foco está na vida que foi gerada através do meu ser; uma vida que me fascina, me surpreende, me deixa preocupada inúmeras vezes, mas que também me mostra dia após dia que nada sei e muito tenho a aprender. Sua vida me traz muita alegria e me faz sorrir a cada amanhecer. Sem sombra de dúvidas, minha vida nunca mais foi a mesma.

 Todos nós em alguma época da vida nos vemos gerando algo novo em nossas mentes e corações. É um trabalho de criação constante que experimentamos. Algumas vezes, não temos a mínima idéia do que estamos a criar, ou se sobreviveremos à dor associada à criação deste algo novo em nossas vidas. E tal experiência pode nos assustar, porque não estamos conscientes do processo do parto – chegando a crer às vezes que a dor é desnecessária. Alguns de nós acaba acreditando que a vida é simplesmente cruel e confusa.

 Quando estamos dando vida a um novo estado de “ser” – como por exemplo do estado de ser “casado” ao estado de ser “solteiro” novamente-, o processo pode ameaçar destruir a essência de quem acreditamos ser. Amados leitores, muitas vezes, não importa o que está sendo gerado, saibam que a dor faz parte do processo. Tenho aprendido ao longo dos anos que a vida é uma série de mudanças acompanhadas por ciclos de dores. Sabemos disso, mas odiamos esta parte (eu pelo menos, resisto muitas vezes a enfrentá-la). Todos queremos uma vida melhor; todavia, queremos erroneamente crer que evitaremos à todo custo as dores do trabalho de parto (ou das mudanças em geral).

 Lembro-me muito bem de pedir fervorosamente a meu médico obstetra que não me deixasse sofrer além do que era considerado normal. Como aqui nos Estados Unidos a primeira opção por lei é o parto normal (a não ser que haja alguma complicação), fui muito clara ao lhe dizer que não pensasse duas vezes caso uma cesárea se fizesse necessária. Como podem ver, eu, antecipando minha dor, já antecipava também a solução. Quantas vezes sofremos por antecipação?

 O que tenho aprendido é que estamos sempre em processo de dar à luz. Estamos em algumas destas fases e, para minhas leitoras que já passaram por esta experiência inesquecível, sabemos que é muito mais fácil tolerar a dor das contrações quando ela vem em ondas de 15 minutos. Quando as dores estão entre 3 a 5 minutos se torna mais difícil, por vezes quase impossível, manter a compostura, mesmo sabendo que o bebê está quase chegando. Nos recusamos a tolerar e a deixar fluir. Esperamos ansiosas, fechamos os olhos, prendemos a respiração, e resistimos ao processo para não nos entregarmos novamente à dor.

Obviamente, em se tratando de dar à luz a um bebê, resistir é simplesmente impossível. Já em outras situações, no decorrer da vida, resistir à dor apenas prolonga o processo. Mudanças vão acontecer. Não há absolutamente nada que você possa fazer para evitar o processo que deve ser revelado em você (e através de você). Você já deve saber, certamente, que mudanças causam algum tipo de dor. Agora, o que você pensa e fala para si mesmo durante esse processo de transformação pode doer mais que a experiência em si. Seu diálogo interior deve ser saudável e encorajador, pois nessas horas você precisa de ser seu melhor amigo, e não seu inimigo.

 É bom lembrar: se em algum momento você se encontrar em meio a uma situação dolorosa, reconheça e identifique o problema rapidamente. Em pouco tempo, o sofrimento se tornará apenas uma lembrança. Se tiver coragem de enfrentar a dor, permita-se a si mesmo apenas senti-la, e saiba que você sobreviverá.

 Lembro que durante meu processo de parto senti dor, chorei, e em um momento gritei – apenas para escutar rapidamente meu médico dizer que não gritasse pois estaria desperdiçando a energia que precisava para empurrar o bebê. Acatei seu conselho imediatamente e respirei fundo. Foi também fundamental focar em um ponto e fazer o exercício de respiração aprendido nas aulas de Lamaze; afinal, eu tanto havia me preparado para este momento, para visualizar o bebê que estava para nascer e sentir a alegria de tê-lo em meus braços. Mas confesso que a dor foi intensa, e não foi fácil colocar em prática os exercícios.

 Ter tido meu marido do meu lado, segurando minha mão e me confortando; uma amiga querida presente; bem como uma equipe fantástica de profissionais com a qual pude contar naquela manhã foi incrível. Além disso, familiares e amigos distantes torcendo por um parto rápido e fácil. Não tenho palavras para descrever quanta energia positiva e segurança me foram transmitidas naquelas horas.

 Em outras palavras, digo-lhes que a vida se revela para nós de diversas formas: em um momento crucial haverá alguém que lhe ajudará a recuperar o foco (como fez meu médico ao me ver desperdiçando a energia que deveria ser utilizada para uma causa maior); uma outra pessoa surgirá feito um anjo e vai segurar sua mão e lhe confortar; um amigo fiel virá e lhe encorajará nos momentos mais difíceis; ou até mesmo uma equipe toda adentrará em sua vida para facilitar uma nova história.

 Louis Edward nasceu e o parto foi mais rápido e fácil do que eu imaginava. Junto com seu nascimento grande alegria, paz e amor me envolveram desde o minuto em que o segurei em meus braços. Sei que desafios e momentos de incerteza existiram – e sempre existirão. Devemos ter humildade para pedir ajuda, e também muita paciência, coragem, disciplina e dedicação. Assim é a vida: nunca paramos de aprender. E assim tem sido comigo.

 Meu querido leitor, não tenha medo das mudanças pela frente, sejam elas no campo profissional, financeiro, sentimental, ou ainda uma mudança de cidade, país, religião, estilo de vida, etc. Aprenda a ouvir sua intuição. Mudanças fazem parte da vida. Muitas vezes elas lhe surpreenderão, outras trarão ao menos crescimento e lhe farão mais forte. Enxugue as lágrimas, respire fundo, e siga em frente.

 Com muito carinho, 

Dra. Claudia Martins

 

Apoio Multi Holding

Dr. Claudia Martins’ photo produced by www.passportpictures.org

14 Comment(s)

  1. Dra. Claudia,

    Como este artigo falou comigo. Tenho a tendência de sofrer muito por antecipação e acabo congelando e não prosseguindo com meus projetos.
    Quanta clareza e discernimento nas suas palavras!
    Obrigado por escrever de uma forma tão humana e eficaz. Você é iluminada!

    Jonathas

    Jonathas | jan 27, 2012 | Reply

  2. Dra. Claudia,

    Estou enfrentando um momento difícil onde tenho que tomar decisões que irão mudar o rumo da minha vida. Preciso entender que a dor faz parte deste processo e muitas vezes não quero encará-la. Acabei de descobrir que o meu problema é…o medo.
    Como é bom ler textos como os seus que relatam experiências vividas. Quanta sabedoria nas suas palavras.

    Amanda | jan 27, 2012 | Reply

  3. Dra. Claudia Martins,

    Que descrição FANTÁSTICA!!!

    Sou parte de 20 mulheres rotarianas e encontrei o seu blog através de uma amiga. Com certeza, se a senhora morasse no Brasil seria uma das minhas convidadas especiais para uma palestra.

    Dalva

    Dalva | jan 27, 2012 | Reply

  4. Dra. Claudia,

    Estou tão impressionada com seus artigos que gostaria muito de pedir sua autorização para publicar em um jornal local.

    Seus textos são objetivos, envolventes e coesos.

    Que sua Estrela continue brilhando fortemente iluminando vidas.

    Laura B.

    Laura | jan 27, 2012 | Reply

  5. Sou sua fã!
    Você sempre doce e direta ao mesmo tempo!
    Adoro ler seus artigos…. coloco em tela grande pra mergulhar ainda mais na leitura….
    Mudanças são sempre difíceis, e na maioria das vezes necessárias.
    Muito obrigada por se deixar usar e abençoar a mim e a tanta gente!
    Deus te abençoe Dra.

    Eronilce Binda | jan 27, 2012 | Reply

  6. Lindo ….Realmente esquecemos da dor…E ficamos com o Melhor…aprendizagem,presente,herança,frutos,alegrias e maturidade..
    Beijos Querida…..Fico Feliz de ter participado desse momento tão lindo na vida de vocês…

    Adriana | jan 28, 2012 | Reply

  7. Wow!! Como sempre uma maneira muito especial de contar sua própria experiência abençoando todos que leêm seus artigos.
    Mais uma vez PARABÉNS!!!
    Me sinto muito feliz em ter feito parte desta jornada tão importante da sua vida!!
    Mil beijos

    Martha | jan 28, 2012 | Reply

  8. Querida…
    Coisa linda suas palavras!!! Como te admiro e me orgulho de você!!!
    Amei… e você sabe, eu precisava ouvir (ler)essas palavras. rsrs
    Love you,
    Gisele

    Gisele C. Florestano | jan 28, 2012 | Reply

  9. Dra. Claudia,

    Excelente artigo! Li várias vezes e estou ponderando em suas sábias palavras.

    David | jan 28, 2012 | Reply

  10. Dra. Claudia,

    Não me canso de ler seus artigos. Sua clareza e estilo cativante de escrever me fascina. Tenho aprendido muito com os seus textos.

    Luciana

    luciana | jan 28, 2012 | Reply

  11. Prezada Dra. Claudia,

    Simplesmente inspirador o seu artigo.

    Digno de palmas.

    Obrigado por ser tão expressiva e direta.

    Pedro | jan 28, 2012 | Reply

  12. Dra. Claudia,

    Tenho acompanhado o seu blog há meses. Cada artigo me inspira, encoraja e motiva a ser melhor para comigo e os outros. Na minha empresa, todos já comentam sobre seus artigos e entre nós já nos referimos a você como se te conhecessemos.
    Parabéns pela disposição em ensinar e ajudar inúmeras pessoas. Você é Maravilhosa!

    Angie | jan 28, 2012 | Reply

  13. Cara Dra. Claudia,

    Valeu demais!

    Como suas palavras mexem comigo. Eu quero ser melhor. E você tem me encorajado a enfrentar meus medos. Minha esposa e eu lemos seus artigos mensalmente além de acompanhá-la também no jornal.
    Obrigado por cada publicação.

    H.S

    Henrique S. | jan 29, 2012 | Reply

  14. Gosto muito quando você usa de exemplos pessoais para ilustrar momentos/mudanças/emoções para todos nós e saber que da mesmo forma que você consegue nós todos também podemos!
    Suas palavras de sabedoria e determinação me encoraja a atingir e aceitar qualquer que seja
    a “mudanca” em minha vida!
    Obrigada mais uma vez por tocar o meu coracao ♥

    priscylla | jan 29, 2012 | Reply

Post a Comment