Bullying na Escola- Seu filho é vítima?

Bullying na Escola

Seu filho é vítima?

A escola pode ser uma tortura para crianças que são vítimas de bullying – a intimidação física e psicológica feita por alunos briguentos, agressivos e dominadores. O fenômeno, que também envolve a disseminação regular de boatos e fofocas, apelidos depreciativos, é mais comum do que a sociedade, os funcionários de escolas e os pais gostariam de acreditar.

Crianças vítimas de bullying normalmente enfrentam o assédio e as ameaças sozinhas. Os agressores normalmente são crianças dominadoras, que descobriram desde cedo que poderiam tornar-se líderes de um grupo sendo agressivos. Com atitudes brutas, elas tentam forçar os outros a se curvarem. Já outras crianças podem se impor simplesmente através do medo que provocam em seus colegas. Pesquisadores já descobriram que as crianças mais propensas ao bullying haviam sido mais expostas a punições físicas pelos pais, tinham visto mais violência na TV e tiveram menos modelos de referência do papel adulto. Até certo ponto, essas crianças haviam aprendido através de exemplos.

Muitas crianças não dizem aos pais que estão sendo alvo de bullying porque ficam com medo de que, de alguma forma, eles venham a culpá-las ou de que outros fiquem sabendo que elas “contaram” e, consequentemente, os agressores aumentem ainda mais as provocações. Contudo, os pais devem ficar atentos para certos indicadores suspeitos:

* Resistência inexplicável em ir à escola.
* Medo ou ansiedade incomuns.
*Distúrbios de sono e pesadelos.
*Queixas físicas vagas, tais como dor de cabeça ou de estômago, especialmente nos dias de aula.
*Pertences são “perdidos”, ou voltam para casa avariados. 

Se você suspeita que seu filho possa ser uma vítima, não pergunte a ele de forma direta. Você deve fazer perguntas tais como: “O que acontece no horário de almoço?”, “Como é ir à escola de ônibus ou a pé?”, “Há alguma criança agressiva na escola?”. Seja um bom ouvinte. Permita que a criança tenha tempo para explicar como se sente. Se você, pai, ou mãe, suspeita que seu filho(a) possa ser uma vítima, diga claramente que a culpa não é dele(a). Então pergunte a si mesmo se a situação é séria o suficiente para procurar o professor, o diretor da escola ou até mesmo a polícia. 

Como coibir o bullying:

De acordo com a co-fundadora da Bully B’ware Productions, não demonstrar fraqueza é uma forma de a criança reduzir as chances de um agressor vir a escolhê-la como alvo. A seguir algumas táticas para o confronto:

* Manter postura ereta e olhar o agressor direto nos olhos.
* Ser educado, mas firme. Dizer “Pare”, ou “Me deixe em paz”.
* Não chorar ou mostrar que ficou aborrecido, mas afastar-se caso não possa esconder o medo.
* Informar um adulto de confiança sobre o ocorrido.

Os pais também podem ajudar as crianças que estão sendo vítimas de perseguição das seguintes maneiras:

*Contatar a escola, mantendo o anonimato, e perguntar se a instituição tem uma política para lidar com os agressores.
* Caso esteja seguro de que uma investigação não irá expor seu filho a riscos, informar a escola sobre as ocorrências, fornecendo data, hora e lugar de cada evento.
*Acompanhar o caso junto com os administradores da escola. Perguntar que ações foram adotadas e como seu filho vai ser mantido em segurança.

Deus abençõe você e sua família.

 Dra. Claudia Martins

Apoio Multi Holding

Dr. Claudia Martins’ photo produced by www.passportpictures.org

Post a Comment