AS CINCO LINGUAGENS DE AMOR DAS CRIANÇAS – (1ª parte)

Você sabe falar a linguagem de amor de seu filho?

Cada criança possui uma linguagem de amor principal que representa a maneira através da qual ela melhor compreende o amor do pai e da mãe. Para que ela se sinta amada, precisamos aprender a falar sua linguagem de amor específica. Ao reconhecermos e utilizarmos a linguagem de amor fundamental de nossos filhos, nosso relacionamento poderá se aprofundar, resultando numa convivência melhor, mais prazerosa e com um nível de entendimento muito maior. Além disso, a criança poderá sentir melhor o amor que você tem por ela. E assim sendo, toda a família é beneficiada.

Quero enfatizar a importância do amor no processo da educação, ressaltando que o objetivo maior dos pais é educar o filho para que se torne um adulto responsável e maduro. Todos os aspectos do desenvolvimento de uma criança requerem alicerces fundamentados no amor.

Na sociedade moderna, criar filhos emocionalmente saudáveis é uma tarefa cada vez mais difícil. Se você tem vários filhos é bem provável que eles falem linguagens diferentes. Visto que crianças têm personalidades diferentes, pode ser que elas escutem em diferentes linguagens de amor. Normalmente, duas crianças necessitam ser amadas de maneiras diferentes.

Qualquer que seja a linguagem de amor de seu filho, este sentimento deve ser expresso de uma única maneira: incondicionalmente. O amor incondicional é aquele que independe de qualquer coisa. Significa que daremos e demonstraremos o amor por nosso filho a todo o momento, mesmo nas ocasiões em que seu comportamento for reprovável. E talvez seja útil relembrar periodicamente algo um tanto quanto óbvio a respeito de seus filhos: eles ainda são crianças e tendem a agir como tais (e muitos comportamentos infantis são desagradáveis).

Um grande número de pesquisas tem indicado que a base emocional para a vida é estabelecida nos primeiros 18 meses de vida, particularmente, por meio da relação mãe/bebê. Neste caso, o alimento para uma futura saúde emocional é o contato físico, as palavras amáveis e um cuidado amoroso e terno. À medida que se torna mais sociável, a criança aprende a amar de forma mais dinâmica, deixando de ser uma receptora passiva, possuindo agora a capacidade de responder a esse amor. O alicerce de amor edificado nos primeiros anos afeta a capacidade que a criança tem de aprender, e determina de forma marcante sua habilidade de compreender novas informações. Satisfazer a necessidade de amor de uma criança não é tarefa tão simples quanto parece – e isto é especialmente verdadeiro quando a adolescência começa.

Agora vamos lá: Qual é a linguagem de amor de seu filho?

Há alguns anos tive o privilégio de assistir a um seminário de Gary Chapman, renomado escritor da obra As Cinco Linguagens do Amor das Crianças. Segundo o autor, existem basicamente cinco linguagens de amor: Qualidade de Tempo; Contato Físico; Presentes; Atitudes de Serviço; e Palavras de Afirmação.

Vou começar descrevendo o “Contato Físico”. Abraços e beijos são as maneiras mais comuns de se falar deste tipo de linguagem, mas também existem outras que podem ser utilizadas. Pode ser o pai que levanta carinhosamente o filho de um ano no ar. Ou gira a filha de sete anos, enquanto ela dá gostosas gargalhadas. É a mãe que lê um livrinho infantil com sua filhinha de três anos sentada no colo.

O contato físico é a linguagem de amor incondicional mais fácil de ser usada porque os pais não precisam de ocasiões especiais ou desculpas para estabelecê-los. Mesmo nas situações onde os pais estão extremamente atarefados, os pais em geral podem parar por alguns segundos para afagar seu filho nas costas, nos braços, na cabeça ou nos ombros. Qualquer pessoa é capaz de aprender a linguagem do contato físico e, se for esta a linguagem de amor principal de seu filho, vale a pena dar o máximo de si para aprendê-la.

A Linguagem de amor número 2: “Palavras de afirmação”.

Na expressão do amor, as palavras são muito importantes. Palavras de carinho e afeto, palavras de encorajamento e elogio, palavras positivas de instrução, palavras de afirmação, todas elas expressam a mesma frase: “Eu me importo com você”. Estas palavras nutrem um senso interior de valor e segurança para a criança. De modo contrário, as palavras que ferem, ditas em momento de ira incontida podem prejudicar sua auto-estima e até mesmo lançar dúvidas sobre sua capacidade.

Palavras de afeto e carinho – As palavras “eu te amo” assumem significado maior quando a criança pode associá-los com sentimentos afetuosos. Por exemplo, quando você está lendo histórias para seu filho antes dele dormir, e num ponto da história os sentimentos da criança estão mais ternos, você pode dizer, suavemente, “eu te amo, filhinho”.

Elogio e afeto quase sempre são combinados nas mensagens que transmitimos a um filho. Afeto e amor significam expressar apreciação pelo que a criança é – por aquelas características e habilidades que fazem parte de seu ser total. Claro que desejamos elogiar nossas crianças, mas devemos nos assegurar de que o elogio seja verdadeiro e se justifique.

Palavras de encorajamento – A palavra encorajar significa “instilar coragem”. Com nossas palavras podemos tanto encorajar como desencorajar os esforços da criança. Gosto muito do versículo em Provérbios 15:1 que diz: “A resposta branda desvia o furor, mas a resposta dura suscita a ira”. Falar de forma suave requer prática, e todos nós temos a capacidade de aprender como fazê-lo. No devido tempo, você será capaz de estabelecer padrões novos e positivos. A melhor recompensa é ver os efeitos saudáveis destes novos padrões estampados no rosto de sua criança, especialmente em seus olhos.

Em virtude de a comunicação positiva ser tão importante em todo e qualquer relacionamento de sucesso entre pais e filhos, vale a pena avaliar os velhos padrões e estabelecer novos. O benefício disso para seu filho será enorme, e a satisfação que você, como pai ou mãe, sentirá será realmente gratificante.

No próximo artigo darei continuidade a este assunto, com as linguagens de amor 3, 4 e 5 respectivamente “Qualidade de Tempo”, “Presentes” e Atitudes de Serviço. E por agora, encha seu filho de abraços e expresse muitas palavras de afeto, elogio e encorajamento.

Com muito carinho,

Dra. Claudia Martins

Apoio Multi Holding

Dr. Claudia Martins’ photo produced by www.passportpictures.org

 

3 Comment(s)

  1. Claudinha,
    Que lindo o texto. Parabéns você é demais! Sou fanzoca de você.
    Um grande beijo e Deus abençõe sempre você e a sua sabedoria.

    marisa | mai 15, 2011 | Reply

  2. Oi Querida,
    Que mensagem linda e tão necessária para pais no mundo de hoje!
    Parabéns!

    Priscylla | mai 29, 2011 | Reply

  3. Estou adorando seu blog, tenho um filho hiperativo com 9 anos e tenho sofrido horrores…., só mesmo um profissional para conseguir mensurar as dificuldades.

    Kenia | mar 28, 2012 | Reply

Post a Comment